terça-feira, 22 de maio de 2018

Truques & Dicas

"Olá Domingos. Adorei o teu livro, peço dicas para gerir melhor meu dinheiro."
"Domingos estou mesmo mal, necessito de dicas tuas para sair deste sufoco."

Este é praticamente o meu dia a dia, pessoas a pedirem truques & dicas sobre como lidarem com dinheiro. Não estou a reclamar, muito pelo contrário, é bom saber que tenho utilidade na vida das pessoas, e elas confiam nos meus skills financeiros a ponto de mesmo não me conhecendo de lado nenhum, pedirem e acatarem os meus conselhos financeiros.

Há um truque/dica, que  tento sempre dar a toda gente, mas muitos ignoram totalmente, e depois não percebem o porquê de as coisas não funcionarem. Tudo aquilo que tenho vindo a partilhar, acreditem em mim, funciona e como funciona. Quem já pôs em prática pode confirmar o que estou aqui a falar, funciona sim, e se não funcionou contigo é porque estás a precisar de ouvir (ler) esta dica que quero aqui partilhar.

Quando dei conta que as minhas finanças não andavam em dia, fui a procura de ajuda no google, mas essa história vocês todos já sabem, irei saltar para a parte que realmente interessa. Andei a procura de truques & dicas, para melhorar a minha vida financeira. Encontrei uns tantos, cada um mais estranho que o outro, mas o que importa é que estavam a resultar. Porém, depois de algum tempo, eu voltava a cair no mesmo buraco, e pensava para mim, "A culpa é deste plano que estou a usar, vou procurar outro". E repetia o mesmo processo, e voltava para o buraco, fazia isto várias vezes. Não imaginam quantas App de finanças pessoais já usei, quantas planilhas já criei, quantos sistemas de gestão de contas bancárias já adoptei, notava-se mesmo que eu estava desesperado mas a procura de uma cura.



Encontrei a cura quando li num livro a seguinte frase "O grande problema na gestão do teu dinheiro, ÉS TU.", eu fiquei parvo e não percebi o que o autor queria dizer com aquilo, afinal, eu estava muito aplicado e dedicado em encontrar o sistema mágico que funcionasse para todo o sempre. Deixei o tempo andar, e foi então que a frase fez sentido para mim. Aí é que se deu o ponto de viragem, essa é a causa de no curso de Finanças Pessoais, a primeira aula não se focar muito em dinheiro, porque realmente, não há nada de errado com o teu dinheiro, mas sim contigo!

Quem usa o dinheiro és tu, ele simplesmente segue as tuas ordens (se bem que quando estás falido, tu é que segues as ordens do dinheiro). Indo ao cerne da questão, enquanto TU não mudares, não adianta quantos truques & dicas recebas, voltarás a cair no mesmo buraco de sempre. Quando falo de tu mudares, falo da tua forma de pensar em relação ao dinheiro, da forma como ages quando tens dinheiro na tua posse, da forma como o teu comportamento é afectado pelo dinheiro. Isso é que tem que mudar, quando mudas isso, tudo o resto irá mudar.

Parece meio estúpido, e muito abstracto porém é a mais pura das verdades. Nenhum guru de Finanças Pessoais poderá mudar a tua vida se tu não mudares primeiro. Os gurus (malta eu, hehe), simplesmente dão ferramentas para poderes obter o que tanto desejaste, mas na mesma, cabe a ti aplicar essas ferramentas, e isso só poderás fazer se acreditares que elas funcionam, em detrimento das tuas antigas ferramentas.

Como mudar a ti mesmo?
Não faço a mínima ideia,(não estavam mesmo a espera desta né?), porque isso varia de pessoa para pessoa. O que posso fazer é partilhar com vocês como foi que eu fiz para mudar a minha forma de ver as coisas. 
Numa manhã de inverno, eram 4 da madrugada, fiquei em tronco nu na praia do Costa do Sol, de olhos fechados... a sério que estavam a acreditar nisto??



Foi um processo simples mas de difícil execução, que é, simplesmente parar e pensar um bocado sobre a forma como a minha vida andava, e o que eu queria para o meu futuro. Esta reflexão deve ser muito honesta, humilde e sincera. Nada de tentar camuflar coisas do género "Ah, mas eu até nem tou assim tão mal, tenho um carro e uma casa", "Meu amigo Abdul é bem pior", "Na verdade eu nem quero ser rico, só quero ter o suficiente.", estas desculpas e mais do gênero não servem. Deve haver uma chamada para a realidade.
Aceitar que, da forma que estás a gerir o teu dinheiro, não te garante nenhuma segurança, estabilidade. Se perderes a tua principal fonte de rendimento, em menos de 2 meses estarás na rua a mendigar. Essas dívidas todas, estão a deixar-te louca. Não faz sentido tantos anos de trabalho e nada na conta. Vem aí uma criança, casamento, enfim, e tu não tens nenhuma reserva de segurança. 
Quando começas a ver a tua vida com esta honestidade, algo em ti terá de mudar, a não ser que és daquelas pessoas que não se importa de viver na mediocridade.
É um exercício muito difícil de fazer, porque requer confrontarmos os nossos demônios internos, e ninguém gosta disso. Muita gente pensa "Mais vale viver uma vida mediocre, do que ter de confrontar os meus demônios, e viver uma vida acima da média."

Se eu fizer esta busca no meu interior ficarei rico?
Claro que não, as coisas não funcionam assim. Esse é o primeiro passo. Mas fica a saber que só ficas rico se fizeres essa busca no teu interior, porque caso contrário, não importa a quantia de dinheiro que caia nas tuas mãos, os teus demônios irão arranjar forma de se livrar dele. Então tens mesmo que os confrontar. (não ir a um exorcista, sejamos sérios)

Resumindo, antes dos truques & dicas, dos livros de grandes experts, das planilhas maradas, das apps, dos conselhos dos amigos (falidos), tens que confrontar o único responsável pelo teu mau desempenho financeiro... TU!

Bom confronto!!

Até ao próximo episódio...

Sem comentários:

Enviar um comentário