terça-feira, 14 de novembro de 2017

Acompanhado é sempre melhor...

Acho que foi Nelson Mandela que disse algo como, se queres ir rápido, vai sozinho, mas se queres ir longe, vai acompanhado.
Eu tenho uma teoria que explica o porquê de sermos naturalmente desleixados com dinheiro. É um bocado Mcgyver, mas acredito que vais me dar razão.


Quando somos muito novos, recebemos ordens em casa, acerca do que comer, como comer, o que vestir, etc. Depois vamos para a escola, onde quem dita as regras é o nosso professor... na universidade a história é a mesma. Arranjamos emprego e quem dita como devemos nos comportar dentro do horário de trabalho é o boss. Ou seja, em quase todos os aspectos da nossa vida, temos regras impostas, e temos que prestar contas caso não seguimos tais regras.

Porém, quando recebemos o nosso salário, não temos que dar satisfação a ninguém acerca da forma que gastamos o nosso dinheiro. Imaginem, alguém que sempre viveu de regras e limitado porque tem de dar satisfações, quando esta pessoa encontra-se sem regras, sem ninguém a quem dar satisfações, é o verdadeiro carnaval, é o grito do presidiário quando sai em liberdade, é a curtição frenética de um adolescente quando os pais não estão em casa.

Por não termos a quem prestar contas, temos a tendencia de sermos desleixados com o nosso dinheiro.
Já deves ter reparado, que subitamente, quando as pessoas entram num relacionamento sério, os seus hábitos financeiros sofrem uma ligeira mudança... e se dão o passo de se juntar, ter filhos, aí os hábitos também mudam um bocado, porque passam a ter a quem prestar algumas contas, digo algumas porque dependendo do entendimento do casal, cada um pode não ter de justificar perante o outro, como gasta o seu salário na totalidade.

Estão a ver como a minha teoria até que bate certo. 
Eu gosto de descobrir as causas dos problemas, que é para poder encontrar a cura. 

Queres mesmo mudar a tua forma de lidar com dinheiro?
Simples, encontra um inspector, ou seja, alguém a quem terás de dar satisfações acerca da tua vida financeira. Encontra alguém que confias o suficiente, partilha com essa pessoa os teus objectivos financeiros, ou seja, os hábitos novos que queres adoptar, se há dívida por eliminar podes partilhar as datas dos pagamentos, se há poupança por se fazer partilha também a quantia que queres canalizar para tal, enfim, dás toda a informação necessária para a pessoa poder te confrontar e exigir resultados. 

Para casais isto é ideal, porque de forma indirecta estarás a iniciar a conversa sobre o dinheiro, ou seja, ao partilhares o teu objectivo financeiro e pedires que a outra parte te monitore, isso vai também despertar atenção por parte da tua cara metade acerca dos seus hábitos, e já é um passo gigante rumo a tão temida conversa sobre... xibaba (dinheiro)!!

Se fores uma pessoa muito dada as redes sociais, podes ir ao Facebook e publicar que no dia x do mês x, irás ter eliminado todas as tuas dívidas, e pedir para que as pessoas te cobrem.
Enfim, o que quero no fundo dizer é que mudar é difícil, e muitas vezes se não temos ninguém a monitorar os nossos passos, facilmente iremos cair em tentação.

Eu não preciso de mais ninguém para me ajudar a ficar na linha, pelo amor da santa, tenho milhares de pessoas a seguirem-me dentro e fora das redes sociais, não posso me dar ao luxo de cair em maus hábitos financeiros, senão serei publicamente julgado... no fundo até que é algo bom.

Então, parem de tentar fazer esta mudança sozinhos... procurem alguém, porque acompanhado é sempre melhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário