sexta-feira, 14 de abril de 2017

Corina e a árvore mágica!!

No dia 30 de Novembro de 2015, fui um dos oradores do Network Mulher, é um evento que a Essencial costuma organizar, a responsável por tudo é a Sra. Milva Santos, que para sempre serei grato por me ter convidado a discursar em tal palco.
Hoje estava a procura de um discurso e cruzei-me com o discurso que escrevi para tal evento. Li e gostei, então gostaria de partilhar com vocês. Da forma que está escrito pode as vezes soar estranho, mas escrevi que era para ser um discurso oral, e não para ser lido. Porém não fiz nenhuma alteração, para não estragar. No futuro, voltarei a este discurso, irei trabalha-lo de forma a tornar-se num bom conto que acredito que devia ser contado a toda gente.
Só mais uma coisa, sempre que encontrarem, "TRIIIIIMMMMMM...", é o som de um alarme, no dia do evento usei meu telemóvel para emitir este som. 
Boa leitura!




"Para quem não esteve no último network, eu tenho toda a legitimidade de estar aqui num encontro só de mulheres... nasci no dia da mulher moçambicana.

Como vocês são especiais, preparei dois discursos. Um extremamente chato, aborrecido, cheio de gráficos e cálculos matemáticos... até eu quando estava a escrever apanhei sono 3 vezes.

Depois tenho um, que sinceramente falando, é fora do normal, espectacular, super divertido e diferente.
Qual é que vocês preferem? (Escolheram o mais divertido, porque na verdade eu só tinha 1 único discurso)

Lembram-se quando eram mais novas, e os mais velhos contavam-vos histórias? Bons velhos tempos... há quanto tempo vocês não ouvem uma história a moda antiga, cheia de fantasia e no final com um significado profundo?

Eu acredito que uma história, é uma das melhores formas de passar conhecimento, pois, não é como uma aula em que quem recebe a mensagem tem que concordar, ninguém é forçado a nada, a pessoa simplesmente ouve, e no final tira as suas próprias conclusões.

O nome da história é Corina e a árvore mágica!!
Então aqui vai... Karingana Wa Karingana.
Era uma vez, uma jovem chamada Corina, muito bonita, inteligente, alegre e tinha o sonho de ser alguém na vida, ter uma grande família e viajar pelo mundo fora.
Corina sai da faculdade com o curso de Contabilidade, logo logo consegue arranjar um emprego.

TRIIIIIMMMMMM... toca o alarme, ela acorda olha para o telemóvel, são 6h é dia 30 de Novembro de 2015, é o seu primeiro dia de trabalho, levanta-se, prepara-se... põe aquele sapato de sola vermelha cujo nome da marca ainda não sei pronunciar e vai trabalhar.

Corina, mostra-se ser uma trabalhadora exemplar, faz horas extra, dá duro no trabalho mas o seu salário subia muito devagar. A sua vida vira uma rotina, acordar, trabalhar, cuidar da casa e voltar a repetir o mesmo processo. Ela poupou dinheiro toda a sua vida, e quando chegou a sua idade de reforma, tinha algum dinheiro guardado, então decidiu comprar uma casa com um belo jardim, e lá tinha uma árvore enorme, que proporcionava uma sombra espectacular.

Corina já tinha 55 anos, estava muito cansada, então passava os dias sentada na sombra da sua árvore. Certo dia lá na sua sombra, ouve o som de uma voz que diz “Então Corina... que lição tiraste da tua vida?”
Corina, com a voz muito triste e revoltada diz “Enfim, dei o meu melhor, fiz a empresa crescer, mas meu salário pouco subia, e pior perdi toda a minha juventude trancada naquele escritório. E agora pelas minhas contas, este dinheiro que tenho guardado, não irá durar por muito tempo, terei de arranjar algo para fazer. Só com salário dificilmente se enriquece.”

A voz respondeu “Sabes, hoje é o teu dia de sorte, irei dar-te uma segunda oportunidade para fazeres diferente”. Corina ficou espantada, e decidiu perguntar... “Mas quem és tu”, e eis que a árvore responde... “Sou eu... a tua árvore”. Corina mal ouve isto, cai desmaida no chão.


TRIIIIIMMMMMM... toca o alarme, Corina acorda meio atordoada, ela olha para o telemóvel, são 6horas e é dia 30 de Novembro de 2015, é o seu primeiro dia de trabalho, ela tem de novo 22 anos... ela mal consegue acreditar... levanta-se, prepara-se... põe aquele sapato de sola vermelha cujo nome da marca ainda não sei pronunciar e vai trabalhar.

Nos primeiros anos de trabalho ela fez de tudo para aprender, tornar-se boa contabilista. Eis que ela larga o seu emprego e passa a ser contabilista por conta própria. Conseguia ganhar mais dinheiro, porém se queria mesmo ser rica, tinha de ter mais e mais clientes. Deu por si a acordar muito mais cedo e deitar-se muito tarde, já não tinha feriados nem fins de semana, nem férias. Os anos foram passando e Corina já com 55 anos, um bom dinheiro de lado, decide reformar-se.

Lá está ela, com 55 anos, muito cansada, passa a vida sentada debaixo da sombra da sua árvore.
De novo ouve o som de uma voz, é a árvore a falar com ela, e diz “Já há anos que não falamos, então conta-me, desta vez, fizeste algo diferente, o que foi que aprendeste?“
Corina furiosa responde “Ser patrão é pior que ser empregado. Eu tinha de tratar de tudo. Tudo para sair bem feito tinha de ser sempre eu, ouvia todas as reclamações, aturava tudo e todos, enfim eu era a empresa. Pior é que estava sempre ocupada com trabalho que nem tinha tempo para aproveitar a minha juventude. Ganhei mais dinheiro sim, mas a custa de muito esforço, e agora que é hora de gozar, não tenho forças. Árvore por favor, manda-me de volta só mais uma vez, juro que farei melhor.” 
Fim da história. Estou a brincar.


A árvore não diz nada... e do nada cai um pequeno ramo que acerta na cabeça da Corina, ela desmaia e...


TRIIIIIMMMMMM... toca o alarme, Corina acorda meio atordoada, ela olha para o telemóvel, são 6horas é dia 30 de Novembro de 2015, é o seu primeiro dia de trabalho, ela tem de novo 22 anos... ela mal consegue acreditar... mas não há tempo, levanta-se, prepara-se... põe aquele sapato de sola vermelha cujo nome da marca ainda não sei pronunciar e vai trabalhar.

Nos primeiros anos de trabalho ela fez de tudo para aprender, tornar-se boa contabilista. Eis que ela larga o seu emprego e passa a ser contabilista por conta própria. Enquanto exerce a sua função, ela forma uma equipa de forma a operar sem a sua presença, consegue até desenvolver um software inovador de contabilidade. Usa o seu tempo livre e dinheiro para expandir o seu negócio. Vai além fronteiras, em pouco tempo tem vários escritórios em todas as províncias. Ganha mais e mais dinheiro, e melhor de tudo, ganha também mais tempo livre.

Cá está ela, Corina, com 40 anos de idade, depois de voltar de uma viagem a volta do mundo com a sua família, decide passar uma tarde a desfrutar da sombra da sua árvore. Cada segundo que passa, dinheiro entra na sua conta, sem ela ter de se esforçar.

Ela ouve o som familiar, sabe quem é, e antes de a árvore falar, ela diz “Já sei o que vais perguntar. Construí um sistema que opera sem a minha presença, assim deu-me tempo livre para aproveitar a vida, procurar outras formas de aumentar o meu rendimento. Aprendi que  trocar tempo por dinheiro é uma má escolha, porque posso sempre ganhar mais dinheiro, mas o tempo mal se vai não posso mais recuperar. Descobri que fazer tudo sozinha é impossível e pouco eficiente porque o dia só tem 24horas, então tenho sempre um período limitado para fazer as coisas, sem contar com o meu desgaste. Muito obrigado por estas oportunidades, só espero que a minha história chege ao máximo de pessoas possível, pessoas que só terão uma única hipótese de viver a vida.”
Corina fecha os olhos, e adormece. 

Agora queria pedir a todas vocês para fecharem os olhos.

TRIIIIIMMMMMM... podem abrir, quero informar-vos que neste exacto momento, tal como a Corina vocês acabam de ter uma segunda oportunidade... o que é que irão fazer de diferente nas vossas vidas?

Meu nome é Domingos Novela, e para mim, Dinheiro Cresce Nas Árvores.
Obrigado."


Feliz Páscoa!!

Sem comentários:

Enviar um comentário