quinta-feira, 10 de março de 2016

Porquê que muitas pessoas falham?

Antes de dar-te a resposta para esta pergunta, irei explicar melhor o que quero dizer com "falhar".
Antes de estares a trabalhar onde trabalhas, passaste por uma entrevista de emprego - ou não, hehe -, e nessa entrevista disseste que eras de longe a melhor aposta para empresa, pois, és proactivo/a, inovador/a, tens muita força de trabalho, dedicação, és pontual, etc.
Foste contratado/a, e começaste logo a comprovar que tudo aquilo que disseste na entrevista de emprego era a mais pura verdade. Perfeito, começas a ganhar confiança, elogios, promoções, estás mesmo a subir a um ritmo elevado, toda gente sabe que és bom/boa, tu sabes que és bom/boa e é aqui que reside o perigo, é aqui onde muita gente falha. - Calma, continua a ler -


Falham por uma simples razão, por excesso de confiança param de fazer as coisas que os levaram a aquele patamar. Simplesmente param! 
Deixam de ser tão pontuais, já faltam a algumas reuniões, não cumprem com alguns prazos, recusam-se a ir a formações, não buscam mais conhecimento, rejeitam tudo que representa um desafio, isso porque nas suas cabeças, estão confortáveis com a sua condição.

Pois, lamento informar mas isso é um erro grave. O ser humano tem de estar em constante evolução, deixa-me repetir... o ser humano tem de estar em constante evolução. De forma a continuares a ter os mesmo níveis de rendimento que sempre tiveste, não podes parar de fazer o que te levou ao nível que atingiste hoje. 

Deixa-me dizer-te o que irá acontecer contigo se parares no tempo porque estás convencido que já és o/a tal, és imbatível. Vai aparecer alguém, tal como tu no início, vai fazer as mesmas promessas que tu fizeste, vai ser aceite na empresa, e vai tirar o teu brilho, e aí terás que competir com um colega, terás que correr atrás do prejuízo, e ele é novo, tem toda a energia, está muito motivado, corres sérios riscos de ficar para trás, e depois vais dizer que foi azar.

Esta história de, do nada ficar cômodo, acontece com quase toda gente, porém, só os que ganham consciência disto é que conseguem sair deste estado vegetativo. Não vou longe, eu sou um exemplo disso. Para hoje ser convidado para dar palestras, formações, ir a programas de TV, é porque comecei a escrever com certa regularidade neste blog. Quando comecei a ser solicitado, parei de escrever com a mesma frequência, afinal, já tinha subido de nível, mal eu sabia que o que me punha naquele nível, era o facto de estar sempre a busca de conhecimento para escrever um artigo para o blog. Logo, parei de evoluir, comecei a ficar repetitivo, e tinha de dar justificações aos que acompanham o blog quando diziam "Então, paraste de escrever?", "Já não tens enviado nenhum email, estava a gostar das tuas dicas."
Mal dei conta disto, voltei atrás no tempo, procurei ver tudo que eu fazia, tudo que me levou avante, e retomei, com mais intensidade ainda. - Juro que estou com níveis altos de intensidade -

O que é que isto tudo tem a ver com dinheiro? Tudo. 
Repara numa coisa, da mesma forma que consegues encontrar todos os hábitos que te levaram ao teu actual patamar, é só olhares para a tua conta, e vais ver que hábitos é que te levaram ao teu actual estado financeiro. Três situações irão ocorrer:
1 - Estás satisfeito - Parabéns, continua assim, não percas de vista os teus hábitos
2 - Podia ser melhor - Muito bom, ambição, gosto... gosto muito. Só tens que identificar esses hábitos e tentar fazer mais, ou experimentar outra forma.
3 - Estás desagradado - Parabéns, agora que descobriste que estás no fundo do poço, sabes que só existe um único caminho, que é para cima. O que vais fazer aqui é encontrar os hábitos que ditam a tua vida financeira, e simplesmente abandona-los. Tens de ser radical, porque se não mudares, irás continuar na mesma situação, ou seja, os teus próximos 5 anos, serão iguais aos últimos 5. Confia em mim quando digo que é impossível adoptar novos hábitos enquanto os antigos existirem. Neste caso, tens mesmo que deixar de fazer o que te pôs nesta situação, só isso. - Como se fosse pouca coisa -

Mas é para isso que cá estou eu, com o meu programa de "Consultoria 1 on 1", com duração de 2 meses, em que com a minha ajuda, iremos encontrar os hábitos que danificam as tuas finanças, e iremos traçar um plano de acção para os modificar. Sem teorias complicadas de gestão financeira, simplesmente aplicando métodos que usei para mudar a minha situação financeira, o mesmo que todos que passaram pela consultoria usam com sucesso nas suas vidas.

Fazendo um resumo, eu podia dizer que a regra é, se estás a ter óptimos níveis de desempenho profissionais, sociais, financeiros, etc, não pares de fazer o que tens vindo a fazer, por mais que pareça que já não é necessário, acredita, se parares de remar, o barco irá desacelerar aos poucos até que irá eventualmente parar... e para fazeres o barco voltar a andar, tens que fazer muito esforço, então, evita isso, simplesmente não pares. Porém se as coisas não estão como desejas, tens duas opções, a primeira é mudar de estratégia, e a segunda é ter a certeza que estás a dar o teu melhor.- Da tua pessoa só deves aceitar o melhor, menos que isso é simplesmente ofensivo para ti mesmo/a -


Até ao próximo episódio...

Sem comentários:

Enviar um comentário