domingo, 13 de julho de 2014

Paga a ti primeiro

Uma coisa que eu adoro é criar lucidez nas pessoas acerca do dinheiro que ganham, porque muita gente vive enganada, e chega mesmo a pensar que o número que vem na folha de salário, é efectivamente o dinheiro que ganha. Também foi um choque para mim quando descobri quanto realmente ganhava.

Sem mais demoras, vamos diminuir o teu salário. Irei usar um exemplo para ilustrar melhor o meu ponto. O Sr. Scolari, recebe 15.000,00 Mt, já livre de impostos. Se perguntares a ele quanto ganha, ele dirá que ganha 15 paus (quem lhe dera). 

O Sr. Scolari recebe, e
- 3.000,00 Mt vão para o empréstimo do carro
- 2.000,00 Mt para gasolina (ele mora muito perto do trabalho)
- 6.000,00 Mt para o rancho
- 1.000,00 Mt para roupa
- 2.500,00 Mt para curtir
- 500,00 Mt para poupança (porque lê os meus episódios)

Agora irei perguntar de forma diferente, afinal de contas com quanto dinheiro o Sr. Scolari fica?
A resposta é 500,00 Mt. Ou seja, o Sr. Scolari, não ganha 15.000,00 Mt, ele ganha 500,00 Mt, porque este é o valor que efectivamente fica com ele, é o “lucro” do salário dele. Dos 15.000,00 Mt que recebeu, somente 500,00 Mt é que ficou para contar história.
E tu, de todo aquele dinheiro que recebes mensalmente, quanto é que efectivamente fica para TI?
Dos 12 salários do ano passado, quanto é que ficou para TI?
Quanto é que tu realmente ganhas?

Um dos maiores erros que muita gente comete, é de se esquecer de si mesmo, dando mais importância a terceiros. O salário chega na conta, e vamos a correr pagar o empréstimo que temos no banco, vamos a correr deixar no supermercado, nas bombas de gasolina, no bar, na lojas de roupa, enfim, esse dinheiro não é nosso, pertence a outra pessoa. Temos a audácia de pagar primeiro a toda gente, e no final o que sobrar, se sobrar, pagamos a nós mesmos. Somos os últimos a receber, porém fomos os únicos a trabalhar por aquele dinheiro. Demos o nosso tempo, o nosso talento, suor, para pegar na recompensa e distribuir a maior parte para terceiros. Isto faz sentido? Tem lógica? Óbvio que não. 
Valoriza o teu tempo, o teu esforço e a partir de hoje, a primeira pessoa que deve receber o teu dinheiro és tu. Paga a ti primeiro, depois preocupa-te com os outros. Estipula um valor que mereces receber mensalmente (sem pôr em causa as necessidades básicas) e paga a ti mesmo primeiro. Quando o salário cai na tua conta o primeiro movimento que deve ser feito é o de tirar a tua parte para a tua poupança, depois vem os outros. Tu mereces, só tu sabes o esforço que tiveste de fazer, tu mereces essa recompensa, o dinheiro é teu, paga a ti primeiro.

Se ainda não estás convencido, irei explicar-te uma pequena coisa. Estás a ver os impostos que pagas ao Estado pelos teus rendimentos? Todos os meses tu fazes uma pequena contribuição para eles. Agora repara numa coisa. Imagina que o desconto não fosse feito na empresa, o dinheiro fosse para a tua conta e tu, tivesses de calcular o valor e depois ir entregar ao Estado. Tu achas que irias pagar todos os meses? Mesmo naqueles meses em que o carro avariou, o microondas avariou, temos que pagar seguro do carro, enfim o Murphy deu-nos uma bela visita, e trouxe primos com ele? Óbvio que não ías pagar, ías deixar para o mês seguinte. Então o pessoal do Estado, sendo eles uns génios, tiraram partido deste conceito de “Paga a ti primeiro”, então, antes sequer de tu veres o teu salário, eles pagam a eles mesmo primeiro, daí ser eficaz. O Murphy pode visitar-te 12 meses seguidos, mas há uma coisa que nunca falha, é pagares os impostos. Então, porque não, roubar esta técnica ao Estado? Porque não, quando cair o teu salário, ires a tua conta, e tirares logo a tua parte? O Estado faz isso contigo, não reclamas, não muda tua vida, então porquê que não fazes isso, por TI?

Queres começar a pagar a ti primeiro, mas não sabes quanto nem por onde começar?

Em primeira mão irei partilhar contigo a minha técnica do 3/3/3. É muito simples de usar. Em 12 meses irei pôr-te a guardar mensalmente 10% do teu salário (é o mínimo recomendável).
Sem mais demoras, irei explicar o meu 3/3/3. O programa leva 12 meses, e está dividido em 4 partes, sendo a primeira, um “aquecimento”.
1 – Durante 3 meses, a começar do teu próximo salário, vais logo que receber, pôr de parte 1% do teu salário. Isso, só 1%. O objectivo aqui é criar um novo hábito (80% comportamento, 20 % conhecimento).
2 – Passados 3 meses, entras na 2ª etapa. Irás adicionar 3%, ou seja, terás que pôr de parte 4% do teu salário, durante 3 meses. Eu sei, 4% é pouco, o dinheiro não é importante por enquanto, mas sim o hábito de pagares a ti primeiro.
3 – Passados 3 meses, irás adicionar mais 3%, agora já começa a doer um pouco, porque terás que tirar 7% do teu salário para ti. Espera aí, se estás a tirar dinheiro para ti, não é dor, mas sim prazer.
4 – Passados 3 meses, irás adicionar mais 3%, passando para 10% do teu salário para ti, mensalmente. E neste momento, é tão natural e está tão impresso em ti o hábito, que não pagar a ti primeiro, será uma ofensa.
Valoriza-te mais, e “Paga a ti primeiro!”, Domingos Novela aprova.

Sem comentários:

Enviar um comentário