domingo, 13 de julho de 2014

Aconteceu, e agora?


Edward Murphy é o inventor da Lei da Murphy que diz algo como “Se algo pode dar errado, dará.” Não é ser pessimista, porém temos que assumir que nas nossas vidas aconteceram, acontecem e irão sempre acontecer imprevistos, situações totalmente inesperadas. Agora faço esta pergunta: se por acaso perderes o teu emprego (fonte de rendimento) neste exacto segundo, o que será da tua vida nos próximos meses? Dramatizei um bocado para poderem perceber a importância do que vou falar a seguir. 




O Fundo de emergência, é nada mais nada menos, que uma reserva de dinheiro que fazemos, para nos suportar em caso de recebermos visitas do Murphy. Pode não ser perder o emprego, porém, o carro pode avariar, podemos ficar doentes, enfim, inúmeras situações inesperadas irão ocorrer (podem crer que irão). 

Um simples espirro, lixou-me o mês todo
Meu problema de vista só pode ser corrigido com lentes de contacto, então num belo dia estava na casa de banho prestes a pôr a lente no olho, quando do nada deu-me uma vontade de espirrar, e foi o que fiz, só que esqueci-me que tinha a lente no dedo, e foi a última vez que vi a maldita. Aquele pequeno espirro custou-me 2 idas a África do Sul e óbvio uma lente de contacto novinha, estamos a falar de cerca de 10.000,00 Mt, sem falar do custo das consultas, e das viagens. Tinha dinheiro guardado para isto? Óbvio que não, eu era parvo, tive que esperar o salário cair, e até lá andar a ver tudo torto, e depois de uma só vez arcar com tais despesas. 

O primeiro passo para organizar as vossas finanças, é criar um fundo de emergência.
Eu fiz da seguinte forma: fui ao meu banco e pedi para abrir uma conta agregada à minha actual conta. Não estou a fazer publicidade do BCI, mas é o banco que uso. A minha conta principal termina em 101, então criei uma conta SEM CARTÃO, em que é igual a minha primeira conta, só que acaba em 102. A conta é sem cartão, porque este dinheiro não pode estar muito acessível, senão voces irão gastá-lo. Para poder movimentar a conta em caso de necessidade, activei o Ebanking, assim sempre que tenho uma emergência e preciso do dinheiro, transfiro da conta 2 para a conta 1, e na conta 1 tenho cartão, pelo que já posso fazer uso do dinheiro. Pelo amor da santa, este dinheiro é para emergências, sejam sinceros com vocês mesmos. Um vestido novo não é uma emergência, o novo Samsung S5 não é emergência, ir ao salão por mais estranho que pareça, não é uma emergência. “Tratem o vosso dinheiro com respeito, senão ele irá vos trocar por outra pessoa.”

Que quantidade de dinheiro deve ter este fundo de emergência? Os experts recomendam 3 a 8 meses de despesas mensais pagas. Quanto mais alto for o risco de perderes a tua fonte de rendimento, maior deverá ser o teu fundo de emergência. Para quem tem dívidas, o recomendável é parar de pagar todas as dívidas (excepto aquelas que realmente não podem parar, como crédito a habitação, tudo resto podem parar, é só terem uma conversa com o credor e explicarem que estão a reestruturar as vossas finanças para melhor liquidarem a dívida), e criar um Fundo de emergência. Neste caso, se o teu salário não for superior a 50.000 Mt, este fundo deverá ser de 15.000 Mt. Se o teu salário for superior a 50.000 Mt, o fundo deverá ter 30.000 Mt (e deves pagar-me jantar sempre que puderes). Estou a falar com quem tem dívidas, quem não tem, deve focar-se em acumular de 3 a 8 meses de despesas mensais pagas. 



Quem tem dívidas, pára tudo e reúne os valores que disse acima, SÓ depois disso é que pode retomar ao pagamento de das dívidas. Meu amigo, se estás endividado, deixa-me só explicar-te uma coisa. Quanto mais tempo ficares a pagar aquela dívida ao banco, MAIS DINHEIRO PAGAS. O que tens de fazer é direccionar TODOS teus esforços para sair dela. Nos próximos episódios irei falar sobre dívidas, como sair delas e como viver longe delas (mas “Domingos, quero comprar/construir casa, preciso de crédito.” Eu sei, iremos falar sobre esse tipo de dívidas, vamos com calma).

Tal como prometido, as 3 perguntas que decidem uma compra. Estava com meu amigo a almoçar, e vem um jovem a vender uma máquina fotográfica. Meu amigo ficou fascinado por ela e queria comprar. 
Eu disse, “Antes de a comprares, responde-me 3 perguntas” 
- Tens dinheiro para a pagar? 
- Sim tenho.
- Precisas dessa máquina? 
- Sim preciso. 
- É necessário que a compres agora?

Ele hesitou, pensou um bocado, e disse “Hum... agora, agora, não.” E sem eu dizer mais uma palavra ele devolveu a máquina ao jovem

Antes de fazerem uma “grande” compra, vocês devem fazer-se estas três perguntas, e se a resposta para uma delas for “não”, então saiam da loja a correr, voltem para casa, pensem sobre o assunto, durmam, dia seguinte ou alguns dias depois, voltem a loja, e voltem a fazer as mesmas perguntas, só quando tiverem 3 sim´s, podem comprar.

2 comentários: