domingo, 13 de julho de 2014

A vida é fácil!

Juro que não sei quem é que anda a propagar esta mentira por aí. Não meus amigos, a vida não é fácil, o que acontece é que certas pessoas aceitam essa realidade e esforçam-se para desenvolverem e estarem a altura dos desafios da vida, porém, esta nunca deixa de ser difícil, é um dado garantido.
Tudo que vale a pena na vida tem um preço alto, e só quem está disposto a paga-lo é que terá acesso a tal.
“Mas Domingos, eu pensei que fosses falar de finanças!”



Claro que vou falar! Quando decidi meter-me nesta jornada de ganhar competência financeira, não fazia ideia dos sacrifícios que teria de fazer. Ser financeiramente competente não é pêra doce, requer muito sacrifício, disciplina, motivação e acima de tudo maturidade. Por isso que muita gente começa a controlar as suas contas, e passado algum tempo desiste. Esta é daquelas coisas na vida que não é para quem quer, nem para quem pode, é para quem está disposto a sacrificar a pessoa que é hoje, pela pessoa que irá se tornar amanhã.



Ser competente financeiramente vai muito mais além do que saber calcular taxas de juro, comparar preços, ter fundo de emergência, é preciso uma mudança radical no estilo de vida, na forma de ver as coisas, resumindo: tens que te transformar numa pessoa diferente.

Hoje em dia é “normal” ter problemas financeiros. É “normal” o salário não chegar ao final do mês. É “normal” pedir emprestado dinheiro aos amigos, ao banco, ao agiota. Ora, se isto tudo é “normal”, eu escolhi ser anormal. É uma escolha difícil, porque desde pequenos que somos educados a seguir a onda, a sermos nomais, a encaixarmo-nos no nosso grupinho, a sermos aceites. Pois bem, lamento informar-vos, mas ser financeiramente competente não é sexy, não é cool, hoje em dia é “anormal”, sendo assim, vai contra muita coisa que aprendemos durante a nossa vida. Estás disposto(a) a ser anormal?

Vejam só o seguinte, quando comecei a dar os meus primeiros passos no mundo das Finanças Pessoais, andava muito obcecado, era muita coisa nova e útil, e achei por bem partilhar com os meus amigos. Qual é que vocês acham que foi a reacção deles quando me ouviram a falar de controlar gastos, poupar, pensar na reforma?? Gozaram comigo, chamaram-me de psicopata e outros nomes que não posso aqui dizer, sabem como são os amigos. E tu tas disposto(a) a aturar isto? Achas que consegues ouvir toda gente a tua volta a dizer-te que não és normal, e mesmo assim continuares? Se não consegues, então mais vale nem sequer começares, mais vale desistires agora, porque vem aí uma estrada sinuosa.
O mais curioso e muito engraçado, é que hoje em dia, os que gozavam comigo, vem ter comigo a pedir dicas, é giro não é.

Lembro-me como se fosse ontem, uma vez fui almoçar com amigos, a conta chegou, toda gente pagou, e eu pedi uma caneta ao moço que estava a servir a mesa. Tirei uma folha minúscula, e anotei o valor que gastei. Meu Deus, que choque que aquilo causou, trouxe ao de cima um debate, várias reacções, e eu por dentro a pensar “Já chegamos ao dia em que ser financeiramente competente é algo bizarro?.”

“Quando os teus amigos falidos começarem a gozar contigo por controlares os teus gastos, é sinal que estás no caminho certo.” D. Ramsey

Há uma expressão que costuma-se dizer “Todos temos uma criança dentro de nós.”. Pois bem, podem crer que é verdade, e é essa criança dentro de nós que destrói as nossas finanças. Vocês já viram como é que se comporta uma criança mimada quando está no supermercado com os pais e decide que quer um chocolate?


Eu já ví uma criança destas, e sem dúvida que merecia um Óscar. Que actuação, coisa de profissionais. Primeio insistiu (eu quero, eu quero), depois, sentou-se no chão, de seguida começou a chorar, e para acabar em grande, começou a rebolar no chão e a gritar. Esta descrição é igual a aquela que muitos adultos até hoje em dia fazem, só que já não dão o show, ficaram civilizados, porém, essa criancinha vive lá dentro, e aparece quando querem um carro novo, um computador, uns sapatos, um vestido, rodadas infinitas na disco, isso tudo sabendo que não se podem dar ao luxo de fazer esses gastos. Não sou um ser superior, simplesmente com muito sacrifício já conheço a criança que habita em mim, e quando ela está para começar o show leva logo duas chapadas e é arrastada pelas orelhas.



Pessoal, isto não é fácil, e nestes episódios, vocês só irão ver a ponta do Iceberg, quem teve consultoria comigo sabe muito bem do que estou a falar. Depois de eu olhar para as tuas contas, para o teu estilo de vida e dar o meu parecer, as minhas sugestões, vais pensar que estou a pôr-te de castigo.
E se te disser que a solução para os teus problemas é trocar o teu carro por um mais económico? Cortar a Zap? Mandar embora a empregada? Cortar em 70% as saídas sociais? O que os teus amigos, vizinhos irão pensar de ti? O que é mais importante, a tua vida ou o teu falso status social? A vida não é fácil.

Fiquem calmos, isto é duro, mas compensa. E só é duro no princípio, porque depois de ganhares o hábito, passa a fazer parte de ti. Muita gente quando marca consultoria olha para mim como alguém que irá passar a cuidar das suas contas, pois bem, lamento informar mas não sou baba de ninguém. Mostro-te onde está o problema, digo-te o que fazer para o resolver, porém, o resto é contigo, e não penses que ao não seguir o que digo estás a enganar a mim, nada disso, muito pelo contrário, o único prejudicado és tu. A vida não é fácil.
Um conselho que dou, do fundo do coração, é que se não tens a certeza que irás dar o teu melhor para mudar a tua vida, não me chames para fazer consultoria, é dinheiro jogado fora. Prefiro que pegues no dinheiro e does a uma instituição de caridade.



Falemos um bocado acerca da recompensa. Depois de tanto sacrifício, de tanto exigir que a criança dentro de nós se comportasse, as coisas irão melhorar, a paz de espírito irá aumentar, as preocupações financeiras irão diminuir drasticamente, agora sim, podemos dar atenção a aquela criança mimada. A criança quer um brinquedo novo, as nossas contas estão em dia, saudáveis, estamos protegidos contra o Murphy, o dinheiro existe, então por que não mimar a criança? Carros, relógios caros, Moet, sapatos, vestidos, 5 idas ao salão por semana, porque não? O grande problema é que as pessoas não querem passar pelo sacrifício, querem saltar para a parte boa da vida. Pois bem, lamento informar-vos, mas “a vida não é fácil”, é isso que a torna interessante de viver.



Bónus
Sempre que sentia que estava prestes a desistir disto tudo, usava um pequeno truque que aprendi de um grande motivador (Ozias Mucheriwa - John Maxwell Team Certified Coach, Teacher & Speaker). Tens de ir a um espelho (meninas pelo amor da santa, não é para aproveitar e arrumar o cabelo), e fazer 3 perguntas a pessoa que está a vossa frente.
- Sou capaz de fazer isto?
- Isto irá mesmo resultar?
- Vale mesmo a pena?
80% comportamento, 20% conhecimento, nunca se esqueçam disto.

Sem comentários:

Enviar um comentário